A comunicação se transforma o tempo inteiro, mas os processos de transição nem sempre são rápidos, e não foi diferente com a comunicação para órgãos públicos. Pra explicar, a gente precisa voltar lá atrás, na Revolução Industrial. Antes desse período, não existia, ainda, a necessidade de empresas se comunicarem com as pessoas e a revolução foi o marco que mudou toda a forma de informar sobre empresas e marcas.

Foi nessa época em que comerciantes viram a necessidade de falar sobre suas próprias firmas, tentando criar laços e gerar desejo.

A preocupação em envolver a sociedade e seus interesses com a comunicação pública começou, no Brasil, na década de 50 sob influência das relações públicas, e foi a partir desse momento em que chegamos no que temos hoje: compromisso com a informação, a partir dos órgãos governamentais.

 

O QUE É COMUNICAR PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS, AFINAL?

Envolvimento, transparência e compromisso com a verdade são os três pilares para fazer comunicação governamental. A responsabilidade de ser o elo entre a população e os órgãos governamentais e públicos é grande e exige estratégia. Entender o contexto, adaptar a linguagem, esclarecer dúvidas e, principalmente, informar, tudo isso envolve as soluções que a comunicação deve oferecer.

Realizar uma comunicação pública eficaz é desafiador, mas na Mene & Portella fazemos todos os processos de estratégicos de observação e ouvidoria para criar um planejamento que aproxima e impacta pessoas, por isso temos tantos cases de sucesso. Reunimos profissionais e oferecemos serviços que ajudam a trabalhar a imagem das empresas e fazer com que a comunicação seja efetiva.

 

Quer saber mais? Clica aqui e veja os nossos últimos trabalhos.